06/06/2024 às 16h35min - Atualizada em 06/06/2024 às 16h35min

Mais quatro mortes por dengue são confirmadas em MS

Boletim atualizado na manhã desta quinta-feira (06) informou mais quatro óbitos decorrentes da doença; ao todo, são 23 mortes em seis meses do ano e mais de 10,3 mil casos confirmados

Mosquito aedes aegypti, o responsável pela transmissão da doença - Foto: Arquivo

Mais quatro óbitos por dengue foram confirmados na manhã desta quinta-feira (06), através do boletim atualizado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES). Ao todo, Mato Grosso do Sul tem 23 óbitos confirmados e 13 em investigação.

Ainda segundo a atualização de hoje, essas novas quatro mortes decorrentes da doença aconteceram em Iguatemi, Chapadão do Sul (chegou ao total de três mortes no ano), Mundo Novo e Aparecida do Taboado.

Fonte: Secretaria Estadual de Saúde

Das cidades que já registraram óbitos, Ponta Porã é a líder, com 4 no total, seguido por Chapadão do Sul (3) e Amambaí (3). Todas elas estão com baixa taxa de cobertura vacinal, menos de 30% do público de 10 a 14 anos imunizados. É importante lembrar que Mato Grosso do Sul é o único estado que teve vacina da dengue em todos os municípios, devido ao alto número de casos.

Além disso, Chapadão e Ponta Porã também lideram a lista de cidades com mais casos confirmados no Estado, com 1.537 e 1.063, respectivamente. Ao todo, são 10.358 casos de dengue já comprovados.


Em comparação com anos anteriores, 2024 já ultrapassou metade das mortes de 2023, que registrou 43, recorde do Estado em um ano, e já chegou próximo ao número de óbitos de 2022, que registrou 24.

Acerca dos casos prováveis, Mato Grosso do Sul registra 20.241 e está com incidência vermelha , que consiste em mais de 300 casos por 100 mil habitantes. Casos prováveis são aqueles em investigação, casos confirmados e ignorados, não são considerados os casos descartados.

Dos 79 municípios sul-mato-grossenses, 48 estão em nível vermelho de incidência, 27 no amarelo (100 a 300 casos por 100 mil habitantes) e 4 no verde (abaixo de 100 casos por 100 mil habitantes).

Baixa procura pela vacina

Desde fevereiro a vacina da dengue (Qdenga) está sendo aplicado em postos de saúde pelas cidades do Estado. Porém, a baixa procura pelo imunizante preocupa as autoridades. A recomendação inicial era a aplicação em crianças de 10 e 11 anos, mas foi ampliada para até os 14 anos, após perceberem que doses estavam sobrando. 

Na época, apenas 13% do público-alvo em Campo Grande foi imunizado. Inclusive, devido à isso, a capital devolveu mais de 8 mil doses a outros estados brasileiros no ínicio de abril, sendo enviadas para as unidades federativas com alto número de casos.

Prevenção

Segundo a SES, "A principal forma de se prevenir contra dengue é reduzir a infestação do mosquito Aedes aegypti, que é o responsável por transmitir o vírus. Eliminar o criadouro é fácil e pode ser feito em pouco tempo, adotando ações simples do cotidiano".

Além disso, evitar água parada em pneus, latas e garrafas vazias, cuidar das plantas e vasos, potes e outros objetivos que acumulam água, além de realizar a limpeza regular da caixa d'água e sempre mantê-la fechada, com tampa adequada.

Além dessas medidas, é recomendado usar repelentes, a fim de evitar picadas do inseto transmissor. Os inseticidas em spray ou de tomada ajudam a matar os mosquitos adultos, principalmente em ambientes fechados. Já o uso de mosqueteiros e telas nas janelas dos quartos ajudam bastante, para que os mosquitos não entrem nas dependências.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Envie Matéria pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp