16/09/2020 às 07h49min - Atualizada em 16/09/2020 às 07h49min

Temos que pôr a legislação em prática, diz Azambuja sobre queimadas no Pantanal

Temos que pôr a legislação em prática, diz Azambuja sobre queimadas no Pantanal

Anna Satie, da CNN,

Para o governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), não é por falta de legislação que o Pantanal arde. Em entrevista  nesta terça-feira (15), um dia após o estado declarar emergência pelas queimadas no bioma, ele disse que, além da estiagem o desrespeito às leis tem dificultado o trabalho de conservação. 

"Temos a melhor legislação ambiental do mundo, muito mais do que alguns países nos cobram. Temos que pôr em prática e mostrar que estamos cuidando do meio ambiente, preservando biomas que são importantíssimos. Mas quando tem uma estiagem monstruosa, que em 50 anos nunca teve, dificulta", declarou. 

 

Ele afirmou que o Pantanal tem como especificidade a navegação exclusiva por meio dos rios. "Não tem estradas, as estradas são rios", disse, acrescentando que a seca e a diminuição do lençol freático dificultou a movimentação dos agentes fiscalizadores. 

Segundo o governador, o estado continua monitorando a situação ambiental por meio de satélites. Ele afirma que a fiscalização localizou vários focos coordenados de incêndio nos últimos meses, que foram punidos com o que chamou de "multas milionárias". 

Leia também:

Queimadas no Pantanal: 5 respostas para as perguntas mais comuns

Pantanal atinge maior taxa histórica de queimadas em 2020

Reinaldo Azambuja

Reinaldo Azambuja

Reinaldo Azambuja (PSDB), governador do Mato Grosso do Sul

Foto: CNN (15.set.2020)

Azambuja atribui o aumento nos focos de incêndio à estiagem prolongada. Segundo ele, anteriormente, o rio Paraguai vinha de cheias constantes, que fizeram com que o volume de material orgânico nas margens crescesse muito e facilitasse o espalhamento das chamas. 

"Há 60 dias, conseguimos debelar todos os focos de incêndio. Mas com advento de estiagem prolongada, muitos ventos e muitos focos localizados, alguns desses sob investigação por serem criminosos, de pessoas que não têm o mínimo cunho de responsabilidade de entender o que é prejudicial ao meio ambiente, nós entendemos [que era o momento de decretar emergência]", afirmou. 

Ele disse que a emergência, aprovada pelo governo nesta segunda (14), vai facilitar a ação coordenada entre órgãos federais e estaduais. O governador afirma que os R$ 3,8 milhões em recursos federais destinados ao combate do fogo irão para a contratação e manutenção de equipamentos.

Azambuja convocou voluntários e ONGs que se solidarizem com a situação do Pantanal a se juntar à força-tarefa estadual e torceu para que, com a chegada da primavera, venham também as chuvas, que amenizariam o problema.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Envie Matéria pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp